Alimentação e dor: como ajudar o seu corpo a se curar

Atualizado: 24 de out.

Uma alimentação adequada fornece equilíbrio e proteção ao organismo




Você sabia que 7 em cada 10 pessoas com dor crônica são obesas, a dor neste caso não acontece somente pela sobrecarga mecânica como muitos pensam, "ah estou mais pesado por isso minha coluna dói". Mas ocorre principalmente pela redução das trocas metabólicas, um corpo com IMC mais alto é um corpo mais inflamado e a captação adequada de nutrientes nas células fica muito prejudicada, o sistema anti-inflamatório do copo fica mais lento e com dificuldade de controlar as prostaglandinas que interferem nos processos inflamatórios e dor.



Além disso, pessoas com IMC mais elevado são mais propensas a dores de cabeça e principalmente se apresentar resistência insulínica, ou seja, índices de glicose mais alto que o normal.

7 em cada 10 pessoas com dor crônica são obesas

Na quiropraxia entendemos que 3 estressores principais podem afetar sua coluna e causar dor, são o estresse emocional, o estresse físico e o estresse químico. Hoje vamos falar sobre o Estresse Químico, que é tudo aquilo que ingerimos e vamos dar muitas dicas de alimentos que você pode utilizar para potencializar as ações anti-inflamatórias do seu corpo.


Lembre-se o que você coloca no seu prato é uma escolha totalmente sua.


Principais nutrientes moduladores de dor

Ômega 3, magnésio, selênio, vitamina D, Vitamina B


Entender sobre cada um desses nutrientes e como eles podem te ajudar, fará você fazer melhores escolhas, principalmente se você estiver passando por um processo de dor crônica (dor por mais de 3 meses).


Ômega 3


O ômega 3 estimula prostaglandinas tipo 3 = mediador anti-inflamatório.


Uma observação importante é buscar alimentos mais ricos em ômega 3 que ômega 6, pois o ômega 6 gera aumento de prostaglandinas tipo 2 que promovem aumento de dor.

  • linhaça, chia, sardinha, camarão, salmão, espinafre, couve, amêndoas.


Magnésio


O Mg funciona como um relaxante muscular, reduz cãibras, estimula o metabolismo ósseo, importante na prevenção da osteoporose e também age no equilíbrio do PH sanguíneo.


Estudos mostram a melhora da enxaqueca com suplementação de magnésio, a associação de magnésio + ômega 3 promove importante melhora na dor em pacientes com lombalgia.


  • Folhas verde escuro, banana, oleaginosas, arroz Integral, grão de bico.


Selênio


Tem função antioxidante, age sobre o sistema imune. Inibição de células tumorais, auxilia na detoxificação de metais pesados como mercúrio e cádmio. A sua deficiência pode gerar fraqueza muscular, fadiga e dores musculares.


  • castanha do brasil, semente de girassol, salmão cru, amêndoas, frango.


Vitamina B12 e Complexo B


Vitamina B12 é importantíssima em pessoas com dor neuropática, ou seja, se você sente dormência, formigamento, sensibilidade diferente ao quente e frio, você precisa medir sua vitamina B12, ela está presente na bainha de mielina dos nervos do corpo.


O uso contínuo de omeprazol reduz a absorção de vitamina B12 pelo organismo.

  • carnes vermelhas, frutos do mar, ovos, cogumelos, lentilha, feijão


O complexo B é de forma geral uma importante substância para o controle da dor, sua falta está relacionada com a sensação de falta de energia e cansaço.


  • B2 (Riboflavina) parece melhorar no tratamento de enxaqueca.

  • A deficiência de vitamina B3 (niacina) pode estar relacionada com artrite, a sua suplementação ajuda na produção de prostaglandinas anti-inflamatórias que auxiliam na remissão da artrite reumatóide.


Vitamina D


A forma ativa da vitamina D – 1,25(OH)2D é uma potente moduladora de inflamação e exerce importante função na inflamação crônica.


  • um estudo verificou que 360 pacientes (15-52 anos) com dor crônica nas costas, 83 % apresentavam níveis baixos de 25(OH)D. Depois da suplementação de 5.000 a 10.000 UI de vitamina D por dia durante 3 meses, 95% não apresentavam mais dores




  • peixes, ovos, ostra, leite e derivados





Quero deixar aqui uma informação bônus sobre os alimentos que ajudam a prevenir a osteoporose.

Inclua na sua dieta alimentos ricos em cálcio + vit D + magnésio. A combinação destes 3 nutrientes estimula o metabolismo ósseo.




Depois de todo esse conhecimento, gostaria que você refletisse:


Estou inflamando ou nutrindo meu corpo?

Como a partir de agora posso ajudar no meu tratamento de dor?


Na quiropraxia vemos nosso paciente como um todo, se você vier para uma consulta conosco, perceberá que trabalhamos vários aspectos da sua saúde, trazendo mais consciência sobre o seu corpo e de como você pode ajudar na melhora da sua dor


Você é o protagonista da sua saúde!


Corpo & Coluna Quiropraxia

21 97007-853 - 3265-5668



Bibliografia

  • Biesiekierski JR, Muir JG, Gibson PR. Is Gluten a Cause of Gastrointestinal Symptoms in People Without Celiac Disease? Curr Allergy Asthma Rep. 2013 Sep 12. [Epub ahead of print]


  • Mooney PD, Aziz I, Sanders DS. Non-celiac gluten sensitivity: clinical relevance and recommendations for future research. Neurogastroenterol Motil. 2013 Aug 12.


  • Lundin KE, Alaedini A. Non-celiac gluten sensitivity. Gastrointest Endosc Clin N Am. 2012;22(4):723-34.


  • Massari S, Liso M, De Santis L, Mazzei F, Carlone A, Mauro S, et al. Occurrence of nonceliac gluten sensitivity in patients with allergic disease. Int Arch Allergy Immunol. 2011;155(4):389-94.


  • Hadjivassiliou M, Sanders DS, Grünewald RA, Woodroofe N, Boscolo S, Aeschlimann D. Gluten sensitivity: from gut to brain. Lancet Neurol. 2010;9(3):318-30.12




3 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo